15 gagos famosos

5
Marilyn Monroe

Marilyn Monroe

Gagueira é uma perturbação da fala, de origem psicomotora, que se caracteriza por repetição de sons e sílabas ou paradas involuntárias, ou seja, por interrupção da fala por inseguranças, excitações e bloqueios em todas as situações de comunicação, inclusive na leitura. Gaguejar diante do chefe, ao apresentar uma desculpa pelo atraso é muito diferente de fazê-lo na rotina do dia-a-dia, ler um texto em voz alta ou pedir pão na padaria.

Causas

A gagueira é um distúrbio multifatorial. Pode ter origem genética, orgânica, psicológica e/ou social.

Sintomas

* Repetição ou prolongamento de sons e sílabas;

* Bloqueio de sons;

* Uso de interjeições para fazer a conexão entre as palavras;

* Simplificação de frases;

* Movimentos corporais para ajudar a liberar os sons ou silabas bloqueados.

Tratamento

Os tratamentos fonoaudiológicos procuram enfocar a aprendizagem motora de técnicas a serem usadas durante a fala; os tratamentos psicológicos tendem a enfocar os aspectos emocionais que interferem na fala da pessoa que gagueja. Eles são considerados tratamentos complementares e sua eficácia depende da base teórica que os fundamenta, do profissional que os aplica e também da pessoa que gagueja.

Recomendações

* Não se acanhe nem deixe de expressar o que pensa ou o que sente se você gagueja;

* Procure valer-se dos artifícios que ajudam a diminuir os sintomas da gagueira.

* Use interjeições, substitua as palavras que de antemão sabe que tem dificuldade para pronunciar por outra equivalente, construa frases menos elaboradas;

* Leve a sério o tratamento. Não deixe de comparecer às sessões de fonoaudiologia nem às que visam ao atendimento psicológico.

Veja a entrevista de Drauzio Varela com a fonoaudióloga Drª Fernanda Papaterra Limongi*.

Drauzio – Sempre houve gagos na história da humanidade?

Fernanda Papaterra Limongi – Sempre. Segundo a Bíblia, Moisés era gago. Há um trecho em que ele diz – “Minha língua tarda”. Demóstenes, orador grego, mestre da eloqüência, punha pedrinhas na boca e discursava à beira-mar para superar o problema e fazer a voz sobressair apesar do barulho das ondas.

Apesar de casos de gagueira fazerem parte da história da humanidade, o problema varia em função da cultura do povo e da importância que dá à comunicação. Numa comunidade de pigmeus, onde a comunicação oral é menos importante, praticamente não existe gagueira. No mundo ocidental, onde é muito valorizada, ela é mais prevalente.

Vale observar que a gagueira está ligada à auto-estima e à aceitação do grupo. Marilyn Monroe era gaga, mas não gaguejava quando estava representando. Era fluente nos momentos que assumia a personalidade que não era a dela.

Há pessoas que gaguejam lendo, há as que gaguejam só diante de estranhos e as que gaguejam diante de conhecidos. Quando fazia estágio nos Estados Unidos, conheci um gago que trabalhava como Papai Noel e era perfeitamente fluente quando vestia as roupas de trabalho.

Drauzio – Dizem que Nélson Gonçalves, um grande cantor brasileiro, era gago. Por que as pessoas não gaguejam quando cantam?

Fernanda Papaterra Limongi – Por alguns motivos. Primeiro, por causa do ritmo. Qualquer pessoa que acompanhe um ritmo, mesmo o gago mais gago, fala com fluência. Basta bater cadenciado numa mesa, seguir o compasso do metrônomo ou falar destacando as sílabas des-te mo-do as-sim.
Tem gente que “trata” (veja que está entre aspas) gagueira colocando um metrônomo ou pedindo para a pessoa falar num determinado ritmo. Nessas condições, ela não gagueja porque tal mecanismo funciona como distração e como marcador. Saindo dali, o problema reaparece.
Pesquisas norte-americanas mostraram que a gagueira desaparecia nos soldados que foram para a guerra do Vietnã, que funcionava como mecanismo de distração. Eles estavam muito mais preocupados com a sobrevivência do que com a comunicação oral.

*Fonoaudióloga, formada pela PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo) e com pós-graduação na University of North Dakota, EUA.

A estimativa aponta que 1% da população gagueja, pelo que no Brasil teríamos quase dois milhões de pessoas que têm este transtorno. Mas existem e existiram pessoas  que conseguiram fazer deste defeito seu maior impulsor para se superar:

Bruce Willis

Bruce Willis

Depois de que os pais de Bruce se separaram em 1972, seus problemas de fluidez da fala começaram a ser mais notórios principalmente na sala de aula. Seus colegas caçoavam dele com apelidos fazendo referência a seu transtorno. Mas Willis descobriu que quando estava em cima de um palco representando em peças de teatro escolares, sua gagueira desaparecia. Desde então começou a atuar e se converteu no Presidente do Conselho Estudantil.

 

Samuel L. Jackson

Samuel L. Jackson

Jackson sofria de gagueira  e foi aconselhado por uma fonoaudióloga para um tratamento. Após a superação do problema iniciou a carreira de ator.

 

Winston Churchill

Winston Churchill

Uma de suas características era a gagueira. Ele mesmo se descrevia como uma pessoa com um impedimento na fala, mas trabalhou constantemente para superá-lo e transformou-se em um dos oradores mais importantes de todos os tempos, com discursos que serviram de inspiração aos britânicos em tempo de guerra.

 

Nicole Kidman

Nicole Kidman

“Eu tive gagueira quando criança … Só me lembro de todo mundo sempre me dizendo:” Calma, pense no que você vai dizer”, e então eu cresci com isso. Não conseguia parar de gaguejar”, afirmou Kidman.

 

Murilo Benício

Murilo Benício

Murilo Benício fala com naturalidade sobre o problema que o acompanhou até os 21: a gagueira. O ator conta que no início da carreira fez todos os tipos de tratamento, até regressão, para curar sua gagueira (apesar de já ter feito um personagem gago). Ele também lembra a época em que viveu nos Estados Unidos, onde teve de aprender a se virar sozinho.

 

Nelson Gonçalves

Nelson Gonçalves

Um dos maiores intérpretes da música brasileira de sempre tentou de tudo na sua juventude: foi jornaleiro, mecânico, engraxate, polidor, tamanqueiro e lutador de boxe (foi campeão paulista na categoria peso-médio aos dezesseis anos), sempre acompanhado de seu apelido de “Metralha”, por causa da gagueira. Decidiu então ser cantor e se converteu em um dos maiores sucessos da música brasileira, ganhou um prêmio Nipper da RCA, sendo somente Elvis Presley o outro agraciado. Durante sua carreira vendeu cerca de 78 milhões de discos, ganhou 38 discos de ouro e 20 de platina.

 

Julia Roberts

Atriz Julia Roberts

Julia Roberts admitiu  o fato de que ela gaguejou muito quando era jovem, mas nunca entrou em detalhes. Hoje ela é uma grande atriz.

 

Anthony Quinn

Anthony Quinn

 

Marcos Frota

Marcos Frota

O ator mineiro Marcos Frota conta que foi gago até os 25 anos. “Na adolescência tinha muitas inseguranças, principalmente por causa da minha baixa estatura. Eu também era muito ansioso e isso só piorava a gagueira”, explica ele. Frota passou por um tratamento que durou cerca de 9 meses, com a fonoaudióloga Gloria Butmuller – especialista conhecida pelo trabalho com atores e jornalistas da TV Globo. “Foram essas sessões que me curaram. Antes era um martírio dar uma entrevista ou falar em público”.

 

 Malvino Salvador

Malvino Salvador

Sobre sua gagueira, o ator Malvino Salvador diz que agora ela só aparece quando ele fica nervoso. “Nunca me atrapalhou, eu tirava um sarro. Passou justamente na fase que comecei a ganhar autoconfiança. Hoje só gaguejo se fico muito nervoso.”

 

Isaac Newton

Isaac Newton

 

Anthony Hopkins

Anthony Hopkins

Era muito solitário. Não por decisão própria, simplesmente não sabia o que dizer às pessoas. Era tímido. Costumava balbuciar e babar quando tentava falar. Hopkins, ademais, tinha dislexia e era totalmente improdutivo na escola. Quando tinha 15 anos, um professor sabendo do seu problema, convidou a participar do grupo de teatro da esola. Hoje é reconhecido mundialmente como um dos maiores atores da atualidade e por seu lendário papel do “Doutor Hannibal Lecter”, ganhou um Oscar em 1992.

 

Rowan Atkinson

Rowan Atkinson

Fontes: http://drauzio.mediaibox.com.br/http://www.mdig.com.br/

Veja:

5 Comentários

  1. Ricardo disse:

    Sofro de gagueira desde uns 12 anos… hoje tenho 30. Posso dizer que é um verdadeiro tormento… impede-me de me expressar com mais naturalidade… a minha gagueira é mais emocional, mas em casos “bestas” ela aprece, como ao falar ao telefone. Estou em tratamento fonoaudiológico com a Sandra Merlo, aqui em São Paulo, e espero de verdade resolver, ou pelo menos, amenizar ao máximo esse problema.

  2. Renato disse:

    Engraçado esse pessoal dizer que ”era” gago. Marcos frota veio aqui na minha cidade e deu uam entrevista na rádio gaguejando pacas. Eu digo que sou gago e assumo. Mas entendo a pressão da tv. Claro, alguns conseguiram encontar meios de controlar perfeitamente a gagueira realmente.

  3. Julio Cesar da Silva disse:

    Tenho 41 anos e sofro de gagueira desde a infância. Porém, realizei vários cursos de oratória (em São Paulo tem alguns gratuitos no Parque da Água Branca) e aos poucos o problema foi diminuindo. Ainda tenho o problema, mas, muito menos hoje em dia. Tanto que participo de reuniões no trabalho, já ministrei treinamentos, etc.

    Acredito que junto com o tratamento específico de fonoaudiologia está também pode ser uma saída para ajudar a superar o problema.

  4. Eduarda Janielly França de Almeida disse:

    Oi, tenho 15 e tenho gagueira desde pequena, sofro muito, pois estou no 1° ano do ensino médio e tenho muitos trabalhos para apresentar, eu gaguejo em casa com familiares, amigos, imagina lá na frente com vários estranhos?! Algumas pessoas riem de mim, outras, me olham de um jeito estranho. E isso me dói muito. Muitas vezes em um grupo de pessoas ou quando estou com alguma pessoa, prefiro ficar calada ou então só dizer frases curtas. E quando começo uma frase e não consigo terminar, eu desisto de falar. Esse meu problema me deixa um pouco na minha sem oque dizer. Já procurei fonoaudiólogos para me tratar, mas não resolveu.
    Eu quero muito começar um tratamento para mim falar e se expressar melhor
    Um abraço!

  5. Elisabeth disse:

    gaguejo desde sempre e sofro demais com isso ja fiz tratamento fonoaudiologo psicologico mas nao adiantou nada.tem dia que consigo falar mas tem dia que nao sai nenhuma palavra.

Postar um Comentário

Comentários são extremamente importantes, pois enriquecem e agregam valor a um post. Todo comentário é bem-vindo desde que respeite as regras criadas pela autora do blog. Não serão aprovados comentários:

  • obscenos, ofensivos e anônimos;
  • não relacionados ao post;
  • propagandas (spam).

ANTES DE POSTAR UM COMENTÁRIO, LEIA COM ATENÇÃO:

  • O Blog Deficiente Ciente é um BLOG PESSOAL, portanto NÃO TEM VÍNCULO com nenhuma instituição de reabilitação, clínica médica ou empresa jurídica.
  • Devido ao grande número de perguntas/dúvidas que recebemos através dos comentários, nem sempre conseguimos responder a todos.
  • Visite a seção de PERGUNTAS FREQUENTES do blog para ver as respostas das dúvidas mais frequentes dos visitantes do blog: www.deficienteciente.com.br/perguntas-frequentes

© 2009-2013 - Deficiente Ciente