Veja os vários tipos de adaptações veiculares

20

Encontrei essa matéria na internet e achei interessante postá-la. Gostaria de agradecer ao colega Ednei Miguel pela gentileza em ceder essa matéria. 

Introdução

Conforme o nível e grau da lesão, dependendo dos movimentos e força que permaneceram e/ou retornaram, uma pessoa poderá ou não dirigir veículos adaptados com comandos manuais. Caso tenha condições físicas e econômicas, é muito importante voltar ou aprender a dirigir, pois as cidades brasileiras, na grande maioria, não dispõem de transporte público com acessibilidade.

Os ônibus, trens, metros e suas estações, rodoviárias, aeroportos e outros, na grande maioria, não possuem acessibilidade, ou seja, condições para que todas as pessoas, sejam elas andantes, cadeirantes, idosos, grávidas e pessoas com mobilidade reduzida, tenham acesso, pois faltam elevadores, rampas, espaços, etc, para que todos possam exercer o direito de ir e vir de todo cidadão. Além disso, nossos governantes também não cuidam das calçadas e guias, dificultando ainda mais o transporte. Quando há adaptações, na maioria das vezes, são mau feitas ou não funcionam, dificultando ainda mais a vida das pessoas. Tudo isso, pode acabar atrapalhando ou dificultando a reintegração social, profissional, afetiva e sexual das pessoas com mobilidade reduzida.

Direitos e isenções de impostos para pessoas com deficiência na aquisição de veículos novos
Aprenda como obter sua carteira de habilitação especial
Tetraplégico dirigindo

Tipos de lesão e Adaptações

Conforme o nível da lesão e o grau de comprometimento dos movimentos e força, uma pessoa necessitará de determinados equipamentos para dirigir, pois as adaptações devem ser desenvolvidas de acordo com as diferentes necessidades. Estes trabalhos deverão ser feitos por profissionais especializados, com conhecimentos em lesão medular e seus comprometimentos. Existem alguns profissionais no mercado e, caso não atendam as solicitações e necessidades, não exite em procurar outro. Qualquer veículo pode ser adaptado, desde os mais simples e acessíveis, até os mais caros e sofisticados. As adaptações também variam muito de preço, sofisticação e tecnologia. Importante: Os veículos com câmbio automático são mais confortáveis, fáceis e seguros para tetra e paraplégicos dirigirem. Além disso, as adaptações ficam mais baratas e de manutenção próxima a zero(requer pouca manutenção), pois são mais simples do que aquelas para veículos com câmbio mecânico(aqueles que tem que trocar marchas).

Adaptações para pessoas com tetraplegia

Dependendo do nível da tetraplegia, uma pessoa não terá certos movimentos de braços e/ou dedos, ou então, movimentos com força reduzida. Nestes casos, para controlar o volante, botões diversos, breque de mão e outros, deverão ser desenvolvidas adaptações para substituir a prensão dos dedos. Para possibilitar e/ou facilitar a dirigibilidade, o veículo deverá ter direção hidráulica e câmbio automático, o que proporcionará também, maior conforto e segurança. Comandos elétricos, como os de vidros, espelhos e travas, ajudarão bastante na independência.

Tipos de adaptações

Volante – Poderão ser utilizadas uma espécie de alça para encaixe da mão ou, encaixes de dois ou três pinos, onde serão encaixados o punho e/ou dedos. Um pomo giratório(espécie de bola achatada), também poderá ser utilizado, caso exista alguns movimentos de dedos. Todas estas adaptações são presas ao volante e giram sob seu próprio eixo, possibilitando todas as manobras.

Freio e acelerador – Para estes comandos, pode ser utilizada uma única alavanca que, quando puxada para traz, acelera o veículo e, quando empurrada para frente, aciona o breque. Existem outros meios para executar tais tarefas, más o citado é o mais simples, barato e requer pouca manutenção. Para ajudar e facilitar a dirigibilidade para pessoas com fracos movimentos de extensão dos braços, a alavanca poderá ser alongada em direção ao corpo da pessoa, ficando mais próxima.

Breque de mão – Existe uma forma bem fácil e prática para soltar e acionar este breque, para carros de passeio. Com cuidado e destreza, batendo com mão no botão do breque, a alavanca descera. Para acioná-lo, encaixando a mão na alavanca ou, utilizando da pinça dos dedos, ou ainda, provocando uma espasticidade para a mão fechar em torno da alavanca, uma pessoa poderá puxá-la e acionará o freio. Caso estes métodos não sejam possíveis, poderão ser feitas adaptações para soltar e acionar os freios, através de “alças” para acionamento e diferentes métodos para soltá-lo. Dica: o câmbio automático possui a posição P – Parking, que trava o carro na posição de estacionamento. Tal artifício deve ser utilizado com cuidado, somente com o carro parado, afim de não estragar o câmbio.

Demais comandos – Os diversos botões para acionamento dos controles dos vidros, espelhos, faróis, seta, travas e outros, poderão ser adaptados de acordo com as necessidades e conveniência.

Adaptações para pessoas com paraplegia

Pessoas com paraplegia, por ter todos os movimentos e força dos braços, poderão dirigir qualquer tipo de veículo, com ou sem direção hidráulica e, com ou sem câmbio automático, podendo escolher entre várias opções de adaptações para acelerador, freio e câmbio. Poderão também, adaptar quadriciclos, triciclos e motocicletas com side-car.

Veículos com câmbio automático

Em um veículo com câmbio automático, a única adaptação que uma pessoa com paraplegia irá precisar, será a alavanca para freiar e acelerar, se constituindo na mais simples, acessível(baixo custo) e de manutenção praticamente zero. Algumas pessoas utilizam o pomo giratório, pra auxiliar nas curvas e manobras.

Também poderão ser utilizados aceleradores localizados no volante, com acionamento mecânico, elétrico ou eletrônico, subindo assim, o custo.

Veículos com câmbio mecânico

Nos veículos com câmbio mecânico, a embreagem deverá ser automatizada, através de sistemas que, com o toque da mão no câmbio ou pressionamento da alavanca de freio, o pedal da embreagem é acionado, deixando o carro pronto para receber ou desengatar as marchas. Ao acelerar, o pedal da embreagem sobe, dando o movimento ao veículo.

Como comprar um carro

As pessoas poderão adquirir veículos novos ou usados. Antes de comprar, deverá ser feita uma análise minuciosa, dando ênfase para os seguintes detalhes:

Altura do veículo e do banco do motorista - a altura irá influenciar diretamente nas transferências(entrar ou sair do veículo). Se for muito alto ou muito baixo, dificultará ou tornará impossível as transferências com o auxílio de tábuas de transferências ou em transferências sem a utilização das tábuas, ou ainda, em transferências com o auxílio de duas pessoas. O ideal, é que a altura do banco do carro seja o mais próximo possível da altura do assento da cadeira de rodas.

Abertura da porta do motorista - a abertura da porta também influencia nas transferêcias. Quanto maior for o seu angulo de abertura, mais fácil será para fazer as transferências, pois será possível ficar bem próximo ao banco.

Altura do volante - um volante muito baixo, pode atrapalhar na montagem das adaptações do acelerador e freio, que ficam fixadas abaixo da coluna do volante. Isso também, pode dificultar a passagem das pernas em uma transferência, além de dificultar na acomodação das mesmas.

Largura das portas -a largura das portas é mais ítem que pode dificultar nas transferências. Veículos com quatro portas ou portas muito extreitas, podem não apresentar espaço o suficiente para que uma pessoa se transfira.

Peso do volante e freios - veículos sem direção hidráulica ou com direção hidráulica muito pesada, dificultarão toda a dirigibilidade, desde as manobras, até as curvas mais abertas, pois, durante a maior parte do tempo ou em sua totalidade, as pessoas dirigirão com apenas uma das mãos no volante, pois a outra estará controlando o acelerador e o freio.

Porta-malas - é importante que o porta-malas acomode pelo menos a cadeira de rodas, ou aparelhos e equipamentos essenciais à locomoção e/ou bem estar da pessoa.

Equipamentos diversos que facilitam o dia a dia

Controles alternativos diversos - Existem algumas adaptações que “trazem” os controles dos faróis, seta, buzina, limpadores de para-brisa e outros, mais próximas ao corpo do motorista, com acionamento alternativos, podendo usar a cabeça, cotovelo ou outras partes do corpo para fazê-lo.

Elevadores – Lifts e Plataformas - O lift é uma espécie de guincho ou elevador, com um braço de funcionamento manual ou por motor elétrico. Na ponta deste braço, são presas correias oriundas de uma espécie de bolsa, onde uma pessoa é encaixada para ser “issada”, a fim de ajudar nas transferências entre o veículo e a cadeira de rodas. Este aparelho pode ser acoplado ao carro ou ser móvel, com rodas para que alcance os lugares desejados. As desvantagens destes aparelhos, estão no tamanho, peso e instalação no veículo, sendo mais recomendado para uso em carros grandes e espaçosos.

Plataformas -As plataformas são espécies de elevadores acoplados à vans, ônibus, caminhões e outros, onde uma pessoa sobe com sua cadeira de rodas, aciona um controle para subida ou descida e é conduzida até a altura necessária para entrar ou sair do veículo.

Rampas - Uma pessoa usuária de cadeira de rodas, poderá usar rampas para entrar ou sair dos veículos. Poderão ainda, utilizar a própria cadeira para dirigir ou ser transportada, de acordo com o tipo de veículo e cadeira ou, poderão transferir-se para o banco do carro.

Bancos Facilitadores de Acesso - Alguns veículos possuem bancos com sistemas que facilitam as transferências. Um dos sistemas, consiste na condução do banco para fora do veículo, para que uma pessoa “estacione” sua cadeira de rodas ao lado e faça a transferência e, posteriormente, o sistema é acionado, para transportar o banco juntamente com a pessoa para o interior do veículo. Outro sistema, corresponde a um banco do veículo que se acopla a uma base com rodas, se “transformando” em uma espécie de banco de rodas.

20 Comentários

  1. ADOA ALVES disse:

    GOSTARIA DE SABER SE TEM ALGUMA BOLA DE CAMBIO PARA EU MUDAR DE MARCHA POIS PERDI A MÃO DIREITA A 5 MESES E PRECISO DE ALGO PARA QUE EU POSSA MUDAR AS MARCHAS , A AMPUTAÇÃO FOI MAS O MENOS NUM RUMO DE 4 DEDOS ACIMA DO PUNHO , SE VC TIVER ALGO PEÇO QUE ME AJUDE. OBRIGADO .

  2. Carlos Henrique disse:

    Bom dia, gostaria de saber se existe limite de cavalo – potência do motor -, na compra do carro. E qual é o valor para adaptar o freio e o acelerador; e se eu conseguir desconto na concessionária, por exemplo, o carro era 73 mil e a concessíonaria arredondar para 70 mil, esse carro encaixa na regra? Parabéns pelo trabalho muito sucesso, aguardo retorno.

  3. anderson l dos santos disse:

    Olá vera so deficiente cadeirante ha 11 anos moro em sao carlos tenho 35 anos gostaria de saber mais sobre adaptações tenho um monza 86 câmbio normal quero adaptar ele se você pode manda um e-mail andersonlsantos@mail.com.br abraço

  4. Carlos Henrique disse:

    Bom dia, restou uma duvida: em relação a adaptação do freio e acelerador como fica a questão da embreagem, é necessario a utilização dos pés?
    Desde já muito obrigado pelo atenção…

  5. Liliane silva disse:

    Bom dia. Em primeiramente parabéns pela excelente matéria que vem a supri uma lacuna de muitas dúvidas e pouquíssimas informações. Tenho algumas perguntas:
    - carro acima de 70 mil tem algum desconto?
    - se eu comprar um carro sem usar o direito do desconto [como qualquer outro comprador], eu posso pedir a isenção do IPVA?
    - quanto tempo demora do inicio da papelada até a compra? Precisa de advogado?
    - em um caso hipotético: se eu tiver um carro comprado pelo desconto e depois de 2 anos eu quiser mudar de modelo, nesse caso, eu primeiro devo vender primeiro vender o 1° carro para somente em seguida dar o inicio da papelada do 2° carro ou não?
    Desculpas por qualquer incômodo e desde já muitíssimo obrigada!!!

    • Zenildo disse:

      Liliane
      Gostaria de colaborar respondendo a 2º e 3º questão.
      - É possivel desconto de IPVA para carro comprado sem desconto se ele estiver no seu nome e vc for o condutor. Possuo este benefício desde 2006. Aqui no RS é necessário entregar na unidade da SEFAZ cópia simples dos seguintes documentos: Laudo Médico emitido pela junta Médica do Detran; CNH contendo as restrições que constam no laudo e CRLV do veículo também contendo no campo observação que se trata de veículos conduzido por PNE.
      - O meu processo ficou pronto em 40 dias( IPI, IOF E ICMS). Fiz por conta própria, sem advogado ou despachante.

  6. Bom dia.
    Eu estou fazendo auto escola, mas estou com um problema. Sou muito alto, tenho 2,17m e quero saber como faço para conseguir um carro adaptável.
    Não me considero deficiente mas está sendo dificil pra mim.
    Gostaria de poder contar com a ajuda de vcs, pois quero me enterar de td e saber sobre IPI e insenções em geral.
    Grato.

  7. ronaldo lopes disse:

    boa tarde, tenho deficiencia nos braços. o esquerdo tenho mas ele é curto medindo uns 30 cm e o direito apenas um dedo com uns 5 cm.
    minha altura é de 1.50. tenho vontade de adquirir um veiculo vc ou alguem poderia me dar uma ideia de como poderia ser as adaptações, pq minha vontade é comprar um zero para mim mesmo dirigir, mas se caso não tiver jeito vou comprar um usado e arrumar motorista.
    desde já agradeço a atenção.

    • Vera Garcia disse:

      Ronaldo, primeiro você tem que ter sua carteira de habilitação especial. Os médicos peritos do Detran indicarão quais adaptações são necessárias no seu caso.

  8. Patricia Novais disse:

    Boa tarde!

    Gostaria de agradecer. Tudo que leio é muito esclarecedor e me fez muito bem, reconhecer meus direitos e conhecer mais histórias .
    Obrigada! e Parabéns!!

  9. Vera Garcia, gostaria de tirar umas duvidas com você.
    Tenho 59 anos,sou médica,trabalho .tive câncer de mama aos 33 anos e como era muito nova,não sabia.oque tinha que ser feito na época. Fiz quadrantectomia esquerda.
    Há 3 anos fiz uma cirurgia cardíaca para troca de válvula mitral que infelizmente não deu certo e há 3 meses tive que ser submetida a outra troca da mesma válvula. Estou com limitação para dirigir mas só na marcha, tenho dores no local, como o carro tem direção elétrica, fica mais leve,o carro que vou precisar teria que ter câmbio automático e direção eletrica. Como devo proceder?
    Obrigada
    Domingas

  10. silvana alberti disse:

    ola por favor querosaber qual as adaptações que se precisa quando a pessoa nao tem a mao direita ,. foi amputada bem proximo ao punho. e como fazer para tirar habilitação , e obter desconto na compra do carro?

  11. ALFREDO disse:

    TENHO HEMIPLEGIA DO LADO ESQUERDO SOU HABILIADO A 4 ANOS MEU CARRO TEM CAMBIO AUTOMATICO E POMO NO VOLANTE MAS GOSTARIA DE UMA ADAPTAÇAO PARA SETAS

    OQUE VOCES ME SUJEREM??

  12. LOURDES disse:

    OI ESTAS INFORMAÇOES SÃO MUITO BOAS

    EU TENHO 1.45 DE ALTURA E TENHO UM UNO E TENHO MAIOR DIFICULDADE DE USAR A EMBREAGEM EXISTE ALGUM PROCEDIMENTO QUE SE POSSA FAZER PARA MELHORAR POIS MESMO REGULANDO O BANCO EU TENHO DIFICULDADE E PRA PIORAR A SITUAÇÃO EU SOU GORDINHA SE PODER ME DAR UMAS DICAS EU AGRADEÇO OBRIGADO

  13. cintia r seki disse:

    gostaria de saber o tipo de adaptação para o meu caso. não tenho mobilidade os membros inferiores.

Postar um Comentário

Comentários são extremamente importantes, pois enriquecem e agregam valor a um post. Todo comentário é bem-vindo desde que respeite as regras criadas pela autora do blog. Não serão aprovados comentários:

  • obscenos, ofensivos e anônimos;
  • não relacionados ao post;
  • propagandas (spam).

ANTES DE POSTAR UM COMENTÁRIO, LEIA COM ATENÇÃO:

  • O Blog Deficiente Ciente é um BLOG PESSOAL, portanto NÃO TEM VÍNCULO com nenhuma instituição de reabilitação, clínica médica ou empresa jurídica.
  • Devido ao grande número de perguntas/dúvidas que recebemos através dos comentários, nem sempre conseguimos responder a todos.
  • Visite a seção de PERGUNTAS FREQUENTES do blog para ver as respostas das dúvidas mais frequentes dos visitantes do blog: www.deficienteciente.com.br/perguntas-frequentes

© 2009-2013 - Deficiente Ciente